sábado, 18 de junho de 2011

Masoquismo feminino

Acho que hoje finalmente percebi que devo ter escolhido (e ainda por cima terminado!) o curso errado. Devia ter aproveitado ter andado durante o secundário em Ciências e Tecnologias, ignorando obviamente o facto de que era péssima a Biologia, e ter enveredado antes pelo ramo da investigação. A esta altura poderia estar a desenvolver um projecto final maravilhoso "O DNA da mulher e de que forma afecta o masoquismo no mundo feminino". É que nós, gente do sexo feminino, somos mesmo masoquistas.
  • Andamos de salto-alto mesmo que doa e sabendo que iremos acabar no final do dia/noite com os pés numa miséria;
  • Vamos ao cabeleireiro pintar o cabelo, mesmo quando temos uma sensibilidade horrível e quase choramos quando estão a aplicar a tinta e a puxar o cabelo;
  • Constantemente temos que sentir a bela da cera quente, no entanto, se pedirmos a um homem para simplesmente depilar o peito abrem-se portas para a III Guerra Mundial;
  • Passamos pelas dores da gravidez e parto, mas mesmo assim muitas das vezes voltamos a repetir novamente o processo. Uma, duas, três...
  • Entre um homem fofinho e um homem mulherengo gostamos sempre - e repito, SEMPRE - do mulherengo;
  • Queima-mo-nos vezes e vezes, sem conta, quando cozinhamos, cozemos a roupa ou passamos a ferro, na maioria das vezes mesmo assim não ponderamos a hipótese de fazer o marido levantar e fazer alguma coisinha;
  • Se damos um beijinho a alguém no meio da rua, 5 segundos depois somos chamadas de vadias que andam com todos. Mesmo assim acabamos por eventualmente dar mais uns dois ou três.
  • etc.
Há qualquer coisa no DNA até prova contrária!



Quando for grande quer ter um filho guitarrista famoso. Daqueles que ganham dinheiro e engravidam todas as alminhas de saia e com um par de pernas. Uma espécie de Cristiano Ronaldo da música, dá para entender?

2 comentários:

★ Ana ★ disse...

;)

Dreams disse...

Não poderia estar mais de acordo!!
Subscrevo cada ponto :)